BLOG
FIQUE POR DENTRO!

AS DATAS COMEMORATIVAS MAIS CURIOSAS AO REDOR DO MUNDO

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Embora existam várias datas comemorativas em comum no mundo, como o ano novo, natal, e por aí vai, também existem várias datas um tanto quanto incomuns para cada país. É só imaginar que, para o mundo afora, nossas festas juninas devem parecer meio diferentes. E o inverso não deixa de ser verdadeiro: existem várias datas um tanto quanto curiosas que preparamos para mostrar neste texto que nos deixam intrigados. Vamos aprender como falar sobre elas em inglês? Let’s get going!

 

O buffet para macacos tailandeses

Na vila de Lopburi, na Tailândia, os macacos são conhecidos por serem glutões que não dão descanso para os moradores. Em 1989, eles decidiram resolver o problema de uma maneira bastante inusitada: dando para os macacos o que eles queriam. Na última semana de novembro de cada ano, eles colocam vários quitutes em um templo para eles se deliciarem – inclusive Coca Cola!

 

Como falar dessa ocasião?

“In Thailand, people prepare a buffet for monkeys every year.” (Na Tailândia, as pessoas preparam um buffet para macacos todos os anos).

“That’s odd! Maybe we can take a look when we go sightseeing?” (Isso é esquisito! Talvez a gente dá uma olhada quando formos ver as paisagens?)

 

Dia da marmota

Todo dia 2 de fevereiro, em Punxstuawney, Pensilvânia, as pessoas aguardam uma marmota sair de sua caverna. De acordo com a lenda, se o dia estiver nublado quando ela aparecer, a primavera chegará mais cedo; mas se estiver ensolarado, então o inverno durará mais seis semanas. Esse também é o nome original do filme “Feitiço do Tempo”, de Bill Murray, muito famoso no Brasil nos anos 80 e 90.

 

Como falar dessa ocasião?

“Did you know people in the US and Canada celebrate ‘groundhog day?’” (Você sabia que pessoas nos EUA e no Canadá celebram o dia da marmota?)

“No, I didn’t. That’s curious!” (Não, eu não sabia. Isso é curioso!)

“What a funny thing to celebrate!” (Que coisa mais engraçada para se celebrar!)

 

O dia em que a música morreu

Todo 3 de Fevereiro, “o dia em que a música morreu” é celebrado em homenagem a três grandes músicos que morreram em uma mesma queda de avião no ano de 1959: Buddy Holly, JP Richardson e Ritchie Valens. 

Buddy Holly, junto com sua banda, The Crickets, teve vários sucessos, dentre eles “Peggy Sue”, além de ter influenciado os Beatles e Bob Dylan. JP Richardson era conhecido por seu estilo “rockabilly” e Ritchie Valens era justamente o autor do clássico “La Bamba”.

 

Como falar dessa ocasião?

“What a sad thing happened on this date.” (Que coisa mais triste aconteceu nessa data).

“This is something very unfortunate to remember.” (Isso é algo bem infeliz de se relembrar).

 

Noite dos rabanetes

No México, no estado de Oaxaca, as pessoas realizam um festival todo dia 23 de dezembro onde rabanetes são entalhados para representar ou o Natal ou cenas históricas. A tradição começou em 1897 quando fazendeiros vendendo suas colheitas em um mercado natalino entalharam os legumes para deixá-los mais atrativos. Hoje em dia, tornou-se um festival onde premiam o melhor entalhador.

 

Como falar dessa ocasião?

“I never thought people would use radishes to make art.” (Nunca pensei que pessoas usariam rabanetes para fazer arte).

“That’s really amusing, isn’t it?” (Isso é muito engraçado, não é?)

 

Dia de atirar feijões

Também conhecido como “Setsubun”, acontece todo 1º dia da primavera no Japão, em torno dos primeiros dias de fevereiro. Nessa celebração o “chefe” da família joga feijões de soja tostados em outro membro da família que está vestido como um “Oni” (demônio). No ritual, os feijões servem para afastar o mal e trazer sorte para o novo ano.

 

Como falar dessa ocasião?

“In Japan, people use beans to ward off evil spirits.” (No Japão, as pessoas usam feijões para afastar espíritos malignos).

“They have a very mystical side culturally, don’t they?” (Eles têm um lado místico muito forte culturalmente, não é?)

 

Cantigas de cavalo morto

Para trazer boa sorte, existe, no país de Gales, um costume um tanto quanto mórbido, percorrendo desde o natal até o fim de janeiro do ano novo. Chamado de “Mari Lwyd”, uma pessoa se veste como um cavalo, usando o crânio de um cavalo morto em sua cabeça, e, acompanhada por um grupo de pessoas, batem de casa em casa cantando cantigas de natal na esperança de lhe darem comidas e bebidas. E aqui no Brasil a gente já não gosta muito de quando as crianças pedem “boas festas” …

 

Como falar dessa ocasião?

“In Wales, people dress up using a dead horse’s skull in Mari Lwyd to bring about good luck.” (No País de Gales, as pessoas se vestem com a caveira de um cavalo morto em Mari Lwyd para trazer boa sorte).

“That’s really macabre!” (Isso é muito macabro!)

 

Dia de esmurrar o seu vizinho

Em tempos pré-hispânicos, na Bolívia, os incas adoravam a deusa da terra, Pachamama. Ela exigia sangue para que tivessem uma boa colheita. Só que acontece que o pessoal da vila de Tinku resolveu providenciar o sangue para Pachamama da maneira mais direta possível: fazendo os vizinhos esmurrarem-se uns aos outros. Talvez no Brasil pudessem adotar para quem tem problemas com aquele vizinho colocando som alto às 3 da manhã em um dia de semana? Melhor não…

 

Como falar dessa ocasião?

“Did you know that in Bolivia, people punch out their neighbors every year in celebration of the goddess of the harvest?” (Você sabia que na Bolívia, as pessoas esmurram seus vizinhos todo ano para celebrar a deusa da colheita?)

“I had no idea! That’s so crazy!” (Não tinha ideia! Isso é tão maluco!)

 

Estas são só algumas das datas festivas mais curiosas ao redor do mundo. Para se aventurar, em inglês pelas doideiras deste mundo, venha empoderar o seu inglês na Beils

Siga também a nossa página do Instagram para mais dicas.

Você sabe qual o seu nível de inglês?

Venha testar o seu nível

de inglês

Nas habilidades seguintes:

Gramática e vocabulário

Compreensão de textos

Compreensão auditiva